6 de fevereiro de 2013

Trabalhador investe FGTS na Petrobras e vê seu dinheiro ir ladeira abaixo junto com o valor das ações da empresa

A má gestão do Governo do PT à frente da Petrobras, além de render o pior resultado da história da estatal nos últimos oito anos, deixou em maus lençóis seus principais acionistas: o trabalhador brasileiro. A perda de quase 50% no valor de mercado da Petrobras traz prejuízos diretos a toda população por trata-se de uma empresa do governo, ou seja do povo. Mas muitos trabalhadores, motivados pelo estardalhaço das propagandas do PT sobre o Pré-sal também investiram seu FGTS em ações da Petrobras e agora estão vendo seu dinheiro ir ladeira abaixo.

Este é o cenário: uma empresa que a cada dia se afunda em despesas e cuja a geração de receita não é capaz de cobrir o rombo que está tomando conta de seu caixa. Não bastasse isso, o noticiário desta quarta-feira (06/02/2013) ainda revelou mais um absurdo. A Petrobras pode vir a colocar R$ 400 milhões no Itaquerão, estádio do Corinthians, clube do ex-presidente Lula. Atitude que, na avaliação do deputado João Leite (PSDB), é inaceitável.

“Essa perda da Petrobras, empresa tão importante para o Brasil, é muito ruim. Mas pior é para aqueles trabalhadores que retiraram seu fundo de garantia para comprar ações da Petrobras muito por conta da cara propaganda oficial do Governo Federal dizendo que o Pré-sal seria algo extraordinário. E mesmo com essa dívida com o trabalhador brasileiro, a Petrobras pega R$ 400 milhões para colocar no Corinthians”, afirmou João Leite.

O deputado, que faz parte do Bloco Transparência e Resultado da Assembleia Legislativa de Minas Gerais (ALMG), lembrou que o mesmo Corinthians já havia sido beneficiado no ano passado com um patrocínio milionário da Caixa Econômica Federal, outra instituição que também pertence ao Governo Federal. O banco pagará R$ 40 milhões para ter a sua marca na camisa do clube. Para João Leite, o patrocínio da Petrobras ao Itaquerão será mais um golpe ao trabalhador.