5 de dezembro de 2011

TCU: contas superfaturadas do Governo Federal para projeto de transposição do São Francisco geram prejuízos de R$ 8,6 milhões ao país

Novas irregularidades foram detectadas pelo Tribunal de Contas da União (TCU) em obras do Programa de Aceleração do Crescimento, do Governo Federal, desta vez no que se refere ao projeto de transposição do Rio São Francisco. Problemas como superfaturamento e falhas de fiscalização geraram prejuízos de R$ 8,6 milhões aos cofres públicos. A obra já excedeu seu orçamento original em mais de 30% e só será concluída com no mínimo cinco anos de atraso.

A auditoria do TCU foi realizada entre junho de 2010 e maio de 2011. Esse é o quinto ano seguido que o TCU encontra graves problemas nas intervenções no eixo leste do projeto de transposição do São Francisco, no Nordeste do país. O Ministério da Integração Nacional foi informado dos problemas e até agora não adotou as providências para ressarcimento dos prejuízos apurados, conforme informou o jornal Estado de S. Paulo.

O projeto exibe sinais de abandono em vários trechos, com estruturas de concreto estouradas, rachaduras e vergalhões de aço retorcidos. “O Tribunal recomendou mudanças no comportamento, na forma de contratar e nos valores das obras, mas o ministério avança na mesma direção do que vinha fazendo. Isto que dizer que estão transformando a fonte de água que é o Rio São Francisco em mais um berço da corrupção”, criticou o deputado Sebastião Costa (PPS), do bloco Transparência e Resultado da Assembleia Legislativa de Minas Gerais (ALMG).

As obras vistoriadas apresentaram, segundo o relatório do TCU, quase 57% de execução, quando deveriam apresentar 97%. Essa etapa da obra, iniciada em 2008, está orçada em R$ 1,3 bilhão, dos quais R$ 609 milhões constam no orçamento de 2011.

Áudio: deputado Sebastião Costa

Audio clip: Adobe Flash Player (version 9 or above) is required to play this audio clip. Download the latest version here. You also need to have JavaScript enabled in your browser.