4 de setembro de 2012

Recursos parados: apenas 26% da verba para as chuvas e desastres foram de fato aplicados pelo Governo Federal do PT

O Governo Federal do PT não aplicou nem perto da metade dos recursos que deveriam ter sido investidos neste ano em gestão de risco e prevenção a desastres. Dos R$ 3,5 bilhões previstos para 2012, apenas 26,4% foram de fato aplicados. Ou seja, além de não ter conseguido reparar os danos causados pelas últimas chuvas que devastaram cidades inteiras, como em Minas Gerais e no Rio de Janeiro, o Governo Federal também não investiu o necessário para prevenir que novas tragédias aconteçam.

Os recursos fazem parte do programa Gestão de Risco e Resposta a Desastres e, até 23 agosto, apenas R$ 936,3 milhões tinham sido utilizados, segundo divulgou o portal Contas Abertas. Além do desembolso em praticamente nove meses ter sido muito baixo, na conta ainda inclui os restos a pagar. Isso quer dizer que o valor desembolsado não foi somente com novas ações e projetos, mas também com compromissos assumidos em anos anteriores que não foram pagos no exercício.

A preocupação vai ficando ainda maior com a proximidade do fim de ano, época em que as chuvas se acentuam e os desastres naturais ficam mais iminentes. “Estamos muito preocupados, até final de agosto só foram investidos 26,4% a custa de muito sofrimento de várias cidades que não puderam reorganizar nem assentar as pessoas atingidas pelas enchentes e pelas secas”, lamentou o presidente da Comissão Especial das Enchentes, deputado Arlen Santiago (PTB).

A grande mobilização agora, segundo informou Santiago, é para fazer com que o Governo Federal do PT aplique, mesmo que tardiamente, o restante desses recursos, contemplando, principalmente, as cidades mineiras mais afetadas pelas chuvas, que desde janeiro aguardam pela liberação da verba prometida pela União. “Como sempre, Minas Gerais vai ficando de fora dos cuidados que o Governo Federal poderia ter conosco”, criticou.

O programa de prevenção envolve recursos dos ministérios da Ciência e Tecnologia, Integração Nacional, Defesa, Meio Ambiente, Minas e Energia e Cidades. Estão previstas 36 ações de apoio a sistemas de drenagem urbana, implantação de centros de monitoramento e alerta, contenção de cheias e mapeamento de risco. A Pasta das Cidades é a que coordena as grandes obras no setor com o orçamento previsto de R$ 1,2 milhão para este ano, mas apenas R$ 79,4 milhões foram desembolsados.

 

Leia mais:

Mais promessas: Governo Federal do PT anuncia verba para as enchentes que deveria ter sido liberada há oito meses

Governo de Minas dá bom exemplo em prevenção de enchentes e Governo Federal se abstém

Comissão de parlamentares vai traçar planos para minimizar desastres ocasionados pelas chuvas e criar ações preventivas

Deputados querem fiscalizar obras e dinheiro que não chegou do governo federal para chuvas

Descaso com tragédia causada pelas chuvas: Governo Federal do PT destina verbas insuficientes para Minas Gerais