7 de fevereiro de 2012

Privatização entra para o vocabulário petista: Governo Federal na teoria usa um discurso, na prática recorre a outro

Quem disse que o Governo do PT é contra? Nos palanques eleitorais lideranças, do partido são recorrentes nas críticas às privatizações realizadas na gestão do ex-presidente Fernando Henrique Cardoso, mas na prática não é bem isso a que estamos assistindo.

A privatização dos aeroportos de Garulhos, Campinas e Brasília, realizada na última segunda-feira (06/02),  renderam aos cofres da União R$ 24,535 bilhões. Este montante surpreendeu ao mercado financeiro por ser 348% superior ao preço mínimo de R$ 5,477 bilhões estipulado no edital de concessão. Somente o terminal de Brasília teve 670% a mais do seu preço inicial. Além do ágio, o que indica que o governo subestimou os preços dos aeroportos, também causou estranheza o fato de grupos internacionais e grupos mais sólidos brasileiros terem ficado de fora da concorrência, conforme observou a jornalista Míriam Leitão no jornal Bom Dia Brasil desta terça-feira (07/02).

As privatizações dos três aeroportos já havia sido anunciadas pela presidente Dilma Rousseff no ano passado, quatro meses após a sua posse. No entanto, como é já é praxe na administração petista, o Aeroporto Internacional Tancredo Neves, em Confins, ficou de fora deste processo que certamente garantiria expansão e mais modernidade ao terminal mineiro. O vice-líder do Bloco Transparência e Resultado da Assembleia Legislativa de Minas Gerais (ALMG), deputado Rômulo Viegas (PSDB), lamenta a exclusão de Minas Gerais e afirma que o parlamento mineiro irá trazer este assunto para o debate na Casa.

Audio clip: Adobe Flash Player (version 9 or above) is required to play this audio clip. Download the latest version here. You also need to have JavaScript enabled in your browser.

Na manhã desta terça-feira (07/02), Viegas entrou com um requerimento na Comissão de Turismo, Indústria, Comércio e Cooperativismo solicitando a realização de uma audiência pública para tratar as questões referentes à privatização do aeroporto Trancredo Neves. “Assistimos recentemente a privatização de três importantes aeroportos brasileiros e, mais uma vez, Minas Ficou de fora. O aeroporto em Confins é também extremamente importante para o desenvolvimento do país e precisa ter mais atenção do Governo Federal”, explicou.

Espera
Vale lembrar que, até o Governo Federal do PT decidir pela privatização, foram anos de espera e muita paciência dos brasileiros que foram obrigados a conviver com a falta de infraestrutura dos aeroportos do país. Foi uma decisão tardia, mas, segundo o deputado Rômulo Viegas, capaz de minimizar os gargalos do setor. “Nós queremos aqui parabenizar o Governo do PT, que por anos criticou as privatizações, e dizer para que apertem os cintos e sejam bem-vindos”, enfatizou Viegas.
O grande X da questão é saber se, após tanta demora, as demandas da Copa do Mundo 2014 conseguirão ser atendidas, evitando que os aeroportos do entrem em colapso com o aumento no número de passageiros que chegarão ao Brasil para assistirem aos jogos do mundial.

Leia mais:

Senado chama autoridades para explicar leilão dos aeroportos

Ágio indica que governo subestimou preços dos aeroportos