9 de agosto de 2012

Mais promessas: Governo Federal do PT anuncia verba para as enchentes que deveria ter sido liberada há oito meses

Foi preciso esperar oito meses desde que cidades inteiras terem sido devastadas pelas chuvas, para o Governo Federal do PT resolver anunciar a liberação de recursos para a contenção de enchentes em Minas Gerais. A promessa de 1,7 bilhão foi feita na última quarta-feira (08/08), o que resta saber agora se esses recursos vão de fato sair do papel ou se irão se juntar aos milhões e milhões de reais já prometidos anteriormente pelo Governo do PT para outras obras no Estado e que nunca sairão dos cofres do Planalto.

“Sempre o Governo Federal está muito atrasado. Nós tivemos várias enchentes e até agora não recebemos praticamente nada do governo para ajudar os municípios. Temos o receio de que aconteça com este dinheiro o mesmo que vem acontecendo há anos, quando vem aqui ou o presidente Lula ou a presidente Dilma para dizer que vai fazer a BR 381, vai fazer o Anel Rodoviário, vai fazer o metrô e não se faz nada”, lamentou o deputado Arlen Santiago (PTB), do Bloco Transparência e Resultado da Assembleia Legislativa de Minas Gerais.

O receio do deputado tem razão de ser. Desde que o Governo do PT assumiu a presidência muito pouco, para não dizer nada, tem sido feito por Minas Gerais. O Estado vem sofrendo com o descaso federal, com a ausência de investimentos e a realização praticamente nula das grandes obras que o Estado tanto carece. “Não estamos tendo a solidariedade do Governo Federal nas demandas que têm levado muitos mineiros à morte”, afirmou o parlamentar.

O deputado presidiu nesta quinta-feira (09/08) a audiência pública da Comissão Especial das Enchentes da ALMG que tratou sobre os danos decorrentes das últimas chuvas e as medidas de prevenção a novos desastres. No encontro, o deputado Dalmo Ribeiro (PSDB), que é membro da Comissão, relatou a sua preocupação com a falta de planejamento do Governo Federal para aplicação dos R$ 1,7 bilhão que prometeu liberar.

Explicações

A Comissão deverá se organizar, conforme propôs o deputado Dalmo, para ir a Brasília e pedir explicações ao Governo Federal sobre a destinação da verba anunciada já que o Ministério da Integração Nacional foi convidado a participar da audiência desta quinta-feira e sequer mandou representante. “Precisamos saber qual será a destinação desses recursos, o que está sendo planejado. Só sabemos que parte deste dinheiro ficará em Belo Horizonte. E o restante para onde vai? Só estamos sabendo dessas informações pelos jornais”, criticou.

A promessa dos R$ 1,7 bilhão foi noticiada pela imprensa nesta quinta. O jornal Hoje em Dia informou que, do montante prometido, R$ 846 milhões serão aplicados em ações na capital mineira. A reportagem afirma que os valores não foram confirmados oficialmente pela presidente Dilma Rousseff, mas já estão sendo utilizados com fins eleitorais, ou seja, novamente as promessas tomam conta dos discursos e ações que deveriam ser de governo se tornam ato político.

Outra preocupação levantada na audiência pública – que não pôde ser esclarecida devido à ausência de representantes do Governo Federal – foi em relação ao custeio desses recursos. “É preciso saber se esses recursos são de fundo perdido ou se sairão por financiamento do BNDES para os municípios. Temos que saber quem vai pagar essa conta porque muitas vezes o Governo Federal diz que está liberando, mas na verdade está é emprestando”, contestou Arlen Santiago.

 

Leia mais:

Governo de Minas dá bom exemplo em prevenção de enchentes e Governo Federal se abstém

Comissão de parlamentares vai traçar planos para minimizar desastres ocasionados pelas chuvas e criar ações preventivas

Deputados querem fiscalizar obras e dinheiro que não chegou do governo federal para chuvas

Descaso com tragédia causada pelas chuvas: Governo Federal do PT destina verbas insuficientes para Minas Gerais