31 de dezembro de 2013

Livro retrata avanços alcançados por Minas nos 10 anos do Choque de Gestão

Programa trouxe melhorias na vida dos mineiros e reconhecimento internacional

O sucesso do Choque de Gestão, implementado em Minas Gerais pelo governador Aécio Neves em 2003, pode ser percebido no crescimento do Produto Interno Bruto de Minas Gerais acima da média nacional, na última década, no salto dos indicadores educacionais do Estado e na queda da taxa de mortalidade infantil no Estado. Os resultados positivos foram coletados e ganharam destaque no livro “Do Choque de Gestão à Gestão para a Cidadania – 10 Anos de Desenvolvimento em Minas Gerais”, publicação lançada pelo governador Antonio Anastasia.

“Em 2003, ao mesmo tempo em que se iniciava um procedimento de mudança e modernização do Estado, o modelo teve um fundamento de demonstrar que a gestão é um tema central no dia a dia dos governos. No Brasil, acostumamos, durante muito tempo, a ter muito governo e pouca administração. Mas devemos ter mais administração, mais racionalidade, mais conhecimento técnico, mais carreiras, mais meritocracia para que o governo consiga alcançar os seus resultados de diretrizes governamentais e políticas legítimas, referendadas pelas urnas, mas que precisam de um arcabouço, de uma estrutura administrativa, que é exatamente a gestão”, afirmou Anastasia.

Ao documentar o percurso cumprido pelo Governo do Estado desde 2003, a obra mostra as três fases do modelo: Choque de Gestão (2003 a 2006), Estado para Resultados (2007 a 2010), e Gestão para Cidadania/Estado em Rede (a partir de 2011). Além da consolidação da cultura do planejamento, a publicação destaca as mudanças feitas pelo Governo de Minas na gestão do capital humano, essencial para a modernização gerencial. Isso ocorreu com a valorização de gestores e com a formação de lideranças. De forma inédita no país, a meritocracia ganhou espaço no serviço público estadual.

Caderno de indicadores de MG

Os avanços registrados em Minas Gerais a partir do Choque de Gestão já haviam sido sistematizados no “Caderno de Indicadores Econômicos e Sociais de Minas Gerais”, lançado em maio de 2013. Na ocasião os dados foram apresentados pelo líder do governo, deputado Bonifácio Mourão (PSDB), no plenário da Assembleia Legislativa de Minas Gerais (ALMG). O parlamentar destacou algumas das ações do Governo de Minas que garantiram o equilíbrio das contas públicas do Estado, a retomada da agenda de desenvolvimento e a confiança dos investidores, fazendo com que Minas se tornasse modelo de administração pública recomendado pelo Banco Mundial.

Saúde: O índice de mortalidade infantil em 2002 era de 18 para cada mil em 2013 caiu para 13. A média de vida que era de 73 anos hoje se aproxima de 76, resultado que é maior que estados como Rio de Janeiro, São Paulo e Espírito Santo. Isso prova que o trabalho na área da saúde está sendo de boa qualidade

Educação: Minas Gerais desde 2003 passou a receber as melhores notas do ministério da Educação através do Ideb. Nas primeiras sérios do Ensino Fundamental tem o primeiro lugar no Brasil. O Estado é também segundo lugar nas últimas séries do Ensino Fundamental e terceiro lugar no ensino médio. Além disso, o governo federal fez nos últimos dias uma classificação das 250 melhores escolas públicas do Brasil e entre elas Minas concorre com 120 escolas. Isso é um indício de que o trabalho na educação desde 2003 tem sido da melhor qualidade.

Infraestrutura: O Proacesso ligou 98% dos municípios mineiros ao asfalto. A partir do governo Aécio Neves a extensão de estradas asfaltadas passou de 13 mil quilômetros para cerca de 20 mil quilômetros, ou seja o Governo de Minas é responsável por mais de 50% das estradas asfaltadas no Estado.

Fonte: Agência Minas