16 de janeiro de 2015

Isso é PT: Secretários terão aumento de 40% e professores de 5%

Embora o governo do PT vá anunciar um aumento igual para todos, na prática, o índice será aplicado em períodos diferentes; o primeiro escalão corrigirá o salário a partir de 2007 e os professores só o do último ano
Mentira e enganação são marcas das administrações do PT, que podem até ser bons em discurso mas, na prática, sempre adotam medidas que contrariam tudo o que disseram. Há mais de 12 anos é assim no governo federal e, agora, nestes primeiros 15 dias de governo Fernando Pimentel, os mineiros já estão percebendo as incoerências e contradições do petista.
Além de promover o inchaço da máquina pública com a criação de mais secretarias para acomodar os companheiros de campanha, vem aí o aumento diferenciado. E em que proporção! Para os professores 5%. Para quem ocupa cargos no primeiro escalão, incluído aí o salário do governador, 40% (leia matéria*).  Não podemos esquecer que muitos desses beneficiados ainda vão engordar seus salários com os jetons que passarão a receber dos Conselhos de empresas públicas.
Desmentindo o líder do governo na Assembleia, deputado Durval Ângelo, que tentou justificar o aumento dos secretários afirmando que era iria acabar com a participação deles em conselhos de estatais, o governador Pimentel já nomeou dez dos 28 secretários como conselheiros nessas empresas. Mas esse número ainda pode aumentar.
Alguns salários, sem contar com esse generoso aumento de 40%, podem chegar a R$ 24.700, como é o caso do secretário estadual de Planejamento, Helvécio Magalhães, que será empossado nos conselhos da Cemig, Prodemge e BDMG. Helvécio foi um dos coordenadores da campanha de Pimentel ao Governo do Estado.
“Não sei mais onde está a hipocrisia”, disse o deputado estadual João Leite (PSDB). “Se é a do líder de governo em anunciar algo contrário ao que irá acontecer, ou se é o Governo que possa estar enganando até mesmo seu líder”. questionou.
Deputado João Leite (PSDB) Foto: Arquivo/ALMG

Deputado João Leite (PSDB) Foto: Arquivo/ALMG

Para o tucano, a questão maior, no entanto, é que o governo do PT em Minas, na contramão do país em crise por causa do fracasso da administração Dilma, vai criando factoides e mentiras para ir inchando a máquina, criando secretarias e aumentando o próprio salário. “Enquanto isso, na Assembleia Legislativa, os petistas não permitem sequer a votação do projeto de lei que trata da recomposição da inflação dos salários dos servidores do Estado”, lembrou João Leite.
*Leia a matéria: