4 de junho de 2013

Estado para resultados: Minas avança e atrai atenção dos empresários. Investimentos serão de R$ 44 bi até 2014

O planejamento do Governo de Minas para estabelecer um estado para resultados, além de garantir desenvolvimento, também tem atraído a atenção dos investidores. Até 2014, o estado irá receber R$ mais de 44 bilhões em investimentos de empresas, especialmente siderúrgicas e mineradoras. A credibilidade de Minas Gerais junto aos empresários demonstra que o Choque de Gestão e as políticas adotadas pelo governo são reconhecidos dentro e fora do estado e estão trazendo os avanços desejados.

Ao conseguir equilibrar suas contas e cumprir seus compromissos fiscais, Minas deu um importante passo rumo a uma gestão de qualidade. Para o deputado Dalmo Ribeiro (PSDB), o aumento dos investimentos em Minas são resultado de uma boa gestão financeira. O deputado ressalta que, no Sul de Minas, os investimentos têm trazido desenvolvimento e, principalmente, geração de emprego.

“Quero destacar o município de Extrema que possui hoje um número altíssimo de protocolos de intenções juntamente ao nosso Governo, a nossa secretaria (de Desenvolvimento Econômico) e a participação do Indi. Inúmeros empresários de todas as regiões do país estão buscando Minas Gerais, e o Sul de Minas, para os seus investimentos”, afirmou o parlamentar que é membro do Bloco Transparência e Resultado da Assembleia Legislativa de Minas Gerais (ALMG).

Os dados sobre os investimentos no Estado foram divulgados pelo jornal Hoje em Dia. De acordo com a reportagem, 35 protocolos de intenção de investimentos foram assinados no 1º quadrimestre deste ano, com previsão de que 31 mil empregos sejam criados, conformou afirmou a secretária de Estado de Desenvolvimento Econômico, Dorothéa Werneck.

Mesmo com a maior parte dos recursos vindo de empresas minerados, a reportagem destaca que outros setores, como o de fertilizantes e o sucroalcooleiro, também têm conquistado mais espaço e participação no mercado. Na rota dos investimentos, estão as cidades de Brumadinho, Itabirito, Congonhas, Itabira, Patrocínio, Santa Vitória, Uberaba, Uberlândia, Betim e Belo Horizonte, onde os principais aportes advêm do setor hoteleiro.