9 de fevereiro de 2012

Descaso com tragédia causada pelas chuvas: Governo Federal do PT destina verbas insuficientes para Minas Gerais

Novamente, o Governo Federal do PT dá provas de que as urgências do povo mineiro não estão na sua lista de prioridades. Após o cenário de caos vivido diante das fortes chuvas que assolaram Minas Gerais,  a população aguardou ansiosamente pela ajuda do Ministério da Integração Nacional. A verba demorou a ser liberada, e após ser anunciada, demonstrou estar aquém da real necessidade dos municípios afetados.

Os 12 municípios mineiros mais atingidos pelas chuvas vão receber do Governo Federal entre R$ 100 mil e R$ 450 mil reais para auxílio às vítimas. A verba total, de R$ 2,3 milhões, não inclui obras estruturais que é justamente umas das prioridades das prefeituras. Tais números demostram que a “ajuda” enviada pelo Governo Federal efetivamente não resolve o problema da população.

Um exemplo é a cidade de Muriaé, na Zona da Mata, para onde serão enviados R$ 350 mil reais, enquanto a prefeitura calcula gastos que podem chegar a R$ 179 milhões para reconstruir os estragos causados pelas enchentes. Só neste município  22 pontes foram destruídas. Conforme noticiou o Jornal O Tempo, das 228 cidades que decretaram situação de emergência em Minas, apenas seis receberam recursos federais no último dia 18.

O deputado Sebastião Costa (PPS), do Bloco Transparência e Resultado, considerou o rescursos enviados como paliativos. “Os valores liberados pelo Ministério da Integracao Nacional para Minas Gerais para o problema das chuvas é apenas paliativo, não resolve o problema, não enfrenta as consequências. Fica apenas tratando dos efeitos e fugindo das consequências. Gostaria muito que houvesse uma mobilização das três esferas de Governo, sobretudo daquele onde está a maioria dos recursos, para que o problema fosse enfrentado nas causas e não meramente nos efeitos”, afirmou.

O que causa estranheza é saber que diante de um cenário tão devastador no Estado, o Ministério da Integração Nacioal se limite a mandar verbas insuficientes enquanto em 2011 quase 90% das verbas destinadas à prevenção de desastres foram destinadas ao estado de Pernambuco, terra natal do ministro Fernando Bezerra. Vale ressaltar que não houve, no estado nordestino, registro de municípios em situação de emergência.

Se Minas Gerais tivesse a mesma atenção que Pernambuco, se o Governo Federal tratasse os estados de forma igualitária sem favorecimento político, os prefeitos de Minas teriam menos dificuldade para reconstruir as cidades destruídas e as famílias, que perderam tudo nas enchentes, conseguiriam se reerguer com mais facilidade.

Áudio Deputado Sebastião Costa: 

Audio clip: Adobe Flash Player (version 9 or above) is required to play this audio clip. Download the latest version here. You also need to have JavaScript enabled in your browser.

Leia mais:

Governo Federal permite que recursos para prevenção de chuvas fiquem concentrados em um só Estado

Ministério de Integração Nacional destina só 1,5% de recursos para áreas de risco no país