12 de maio de 2014

De novo Dilma? Duplicação da 381 segue caminho de outras obras do PT: muito anúncio e pouca ação

A presidente Dilma Rousseff esteve na última segunda-feira (12) em Ipatinga (MG) onde, mais uma vez, prometeu o início das obras de duplicação da BR-381. O mesmo anúncio, no entanto, já havia sido feito pela presidente em outras ocasiões, sendo que as mais recentes foram em visitas a Governador Valadares e Belo Horizonte realizadas neste ano. Na verdade, Dilma está mais preocupada em repetir velhas promessas e ludibriar a população do que de fato executar as obras.
Para o deputado Bonifácio Mourão (PSDB), os discursos da presidente já não convencem mais. Os mineiros querem, agora, resultados reais. “A cada vinda da presidente o que esperamos é o início das obras, o início da duplicação da BR-381 de Belo Horizonte a Governador Valadares. Mas é isso que esperávamos em 2002, 2006 e 2010, é o que esperávamos nas visitas a Belo Horizonte, a Governador Valadares e agora em Ipatinga. Esperamos que mais de uma década de cobranças finalmente tenham resultados e que finalmente tenhamos mais que apenas enrolação, promessas vazias e repetitivas que soam como eleitoreiras”- reforçou o deputado.
deputado Bonifácio Mourão

Para o deputado Bonifácio Mourão (PSDB), os discursos da presidente já não convencem mais e a região espera por resultados reais.

Requentando Promessas
Já no primeiro mês de 2014, a presidente esteve em Minas para anunciar pela quarta vez os mesmos recursos que já foram prometidos para o metrô de Belo Horizonte, mas que nunca foram executados. A última ampliação do metrô foi no governo de Fernando Henrique Cardoso.
Na sexta-feira (09/05), a presidente esteve em Curitiba para anunciar, pela terceira vez consecutiva, verbas para o metrô da cidade, que ainda não saíram do papel. Em outubro de 2011 e outubro de 2013, Dilma esteve na capital paranaense pelo mesmo motivo.
A bola da vez na lista de obras muito anunciadas e pouco executadas é a BR-381. A duplicação da rodovia da Morte já foi anunciada em Belo Horizonte, Governador Valadares e agora, em Ipatinga, a presidente tornou a colocar as obras dessas estrada em pauta.
O que Dilma se esquece é que a duplicação da BR-381 já foi prometida pelo PT nas eleição de 2002, 2006 e 2010, mas até hoje, 12 anos depois nada foi feito. Nenhum quilometro da rodovia foi duplicado e os projetos sequer saíram do papel. 
Além disso, após anos prometendo a obra de duplicação completa – de Belo Horizonte a Governador Valadares – os editais lançados excluíam da duplicação o trecho de Belo Oriente a Governador Valadares, resultado em cerca de 72 km da rodovia sem a duplicação. Em março de 2014, quando esteve em Governador Valadares, Dilma afirmou que a duplicação irá até a cidade, mesmo sem estes dados estarem previstos em edital.
PAC Cidades Históricas
Os casos da BR-381 e do metrô de Curitiba se parecem com o que foi feito por Lula e Dilma em relação ao PAC das Cidades Histórias em Minas Gerais. O programa primeiro foi lançado por Lula em Ouro Preto, em 21/10/2009. Na ocasião, aos pés do monumento a Tiradentes. Lula disse que o PAC cidades históricas teria “investimento de R$ 890 milhões até 2012, dos quais 140 milhões serão investidos ainda este ano”.
Em 29/06/2010, em pleno ano eleitoral, o programa foi novamente lançado, como inédito, pelo presidente do Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan), Luiz Fernando de Almeida, em Belo Horizonte, com orçamento previsto de R$ 1,129 milhão. Em 2012, a atual presidente do Iphan, Jurema Machado admitiu que, 3 anos depois de lançado, o PAC Cidades Históricas não existia e que não havia sido liberado um centavo para as obras prometidas com alarde. Em setembro de 2012, na posse da Ministra Marta Suplicy, o programa foi novamente lançado como se tratasse de uma nova iniciativa.
O mesmo PAC Cidades Históricas foi re-relançado, no dia 28 de janeiro de 2013, como se tratasse de um novo programa, pela presidente Dilma Rousseff, em discurso para prefeitos eleitos e reeleitos em 2012.
O último grande lançamento do programa foi em agosto de 2013, quando em visita a São João del Rei a presidente anunciou a destinação de recursos para 44 cidades históricas brasileiras, bem diferente das 143 cidades anunciadas pelo ex-presidente Lula em 2009.
Leia Mais: