24 de abril de 2012

BRs mineiras: Governo do PT suspende editais e obras para a recuperação das estradas federais não saem do papel

O descomprometimento e desrespeito do Governo Federal do PT com Minas Gerais parecem não ter mais limitações. Não bastasse a falta de investimentos e a ausência de políticas públicas que contemplem a duplicação e recuperação da malha rodoviária mineira, os mineiros serão obrigados a engolir a suspensão dos poucos editais que estavam previstos para obras de recuperação das BRs localizadas em Minas.

Os projetos para recuperação das estradas federais contemplavam 579 quilômetros de um total de mais de 8 mil que compreende o Estado. É um começo muito tímido, mas suspendê-lo significa colocar fim na esperança de toda uma população que não suporta mais ver vidas serem perdidas em estradas completamente abandonas pelo Governo Federal.

Os editais suspensos fazem parte da segunda etapa do programa Restauração e Manutenção – Crema, do Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (Dnit). Ao todo, oito projetos deixarão de ser executados neste ano em todo Brasil, dois quais quatro se encontram em Minas. São contratos de recuperação e conservação das BRs 295/474, 381, 365 e 153, segundo noticiou o jornal Estado de Minas.

 

Rodovia da Morte
A BR-381, velha conhecida dos mineiros pelo número acentuado de acidentes e vítimas fatais, foi umas das mais prejudicadas pela suspensão dos editais. A estrada acabou tendo revogada a duplicação do seu único trecho (96 quilômetros entre Governador Valadares e a divisa do Espírito Santo) que seria contemplado pelo programa do Dnit.

Também chamada de Rodovia da Morte, a BR-381 tem sido alvo constante de promessas do Governo Federal do PT, mas nunca beneficiada com uma obra concreta. “Não sabemos se isso é uma coisa direcionada para dificultar o Governo de Minas e a população, mas, enquanto isso, vidas estão sendo ceifadas na 381. Passam-se meses e meses e, quando a gente menos espera, temos a notícia de os projetos serão suspensos”, lamentou o deputado Célio Moreira (PSDB).

Audio clip: Adobe Flash Player (version 9 or above) is required to play this audio clip. Download the latest version here. You also need to have JavaScript enabled in your browser.

O parlamentar, que pertence ao Bloco Transparência e Resultado da Assembleia Legislativa de Minas Gerais (ALMG), também questionou o fato de a presidente Dilma Rousseff, mesmo se dizendo ser mineira, ter tanta dificuldade para atender as demandas do Estado. “Estamos cansado de promessas”, desabafou Célio Moreira.

 

Explicações do Dnit
A história se repete: seja por incapacidade técnica do Dnit, por falhas e irregularidades em projetos ou simplesmente má vontade do Governo Federal com Minas Gerais, obras são proteladas e inúmeras vidas continuam sendo perdidas nas rodovias federais. “É por isso que nós entramos com um requerimento na Comissão de Transportes e Obras Públicas para chamar o Dnit e sabermos o que está acontecendo. Temos que cobrar do Governo Federal uma posição mais firme porque Minas não pode ficar alijada do processo de distribuição de recursos”, lembrou Célio Moreira.

O deputado foi o autor do requerimento, aprovado na ALMG no dia 03/04, que solicita a realização de audiência pública com a presença de representantes do Dnit para cobrar do órgão explicações para os atrasos das obras nas BRs mineiras. De acordo com Célio Moreira, o abandono e descaso do Governo Federal do PT com as rodovias federais que cortam Minas Gerais foram os principais motivos que o levaram a requer a audiência, que ainda aguarda agendamento.

Leia mais:

E para Minas, nada