20 de julho de 2012

Assembleia chama a sociedade civil para enfrentar a luta contra o crack

Fonte ALMG

A luta contra o crack foi uma das bandeiras levantadas pela Assembleia Legislativa de Minas Gerais (ALMG) no primeiro semestre de 2012. Inúmeras audiências públicas foram realizadas, na capital e no interior, e contaram com a participação de especialistas e sociedade civil. Por meio destas e de visitas a órgãos de segurança pública parlamentares da Comissão Especial para o Enfrentamento do Crack vão apresentar um diagnóstico do problema em Minas Gerais e propor políticas públicas que serão apresentadas ao Governo do Estado.

“A droga é um caso sério de saúde pública”, concluiu a deputada Liza Prado (PSB). Ela acredita que uma das grandes conquistas da Comissão foi aproximar as comunidades terapêuticas do Governo do Estado. Para Liza “os municípios começaram a se organizar e estão sendo qualificados de forma a estar bem mais preparados para enfrentar o problema”.

 

Audio clip: Adobe Flash Player (version 9 or above) is required to play this audio clip. Download the latest version here. You also need to have JavaScript enabled in your browser.

A Comissão e a ALMG estão trabalhando lado a lado para envolver a sociedade mineira e instituições de diversos setores na luta contra as drogas, no dia 23 de junho, promoveram a “Marcha contra o crack e outras drogas” que reuniu cerca de 15 mil pessoas. Elas fizeram uma caminhada do Colégio Estadual Central, no Bairro Lourdes, até a Praça da Assembleia, no Santo Agostinho para dizer não ao crack.

O presidente da Assembleia, Dinis Pinheiro destacou a importância do engajamento da sociedade nesta luta. “O Poder Público não consegue fazer nada sozinho, precisamos de toda sociedade. Vamos ajudar as pessoas que entraram pelo caminho errado a encontrar de novo o caminho da vida, da dignidade, da alegria”, disse Dinis.

Outro evento que marcou as ações da Comissão foi um ato de prevenção ao uso das drogas, em especial o crack. O ato foi realizado no Pátio das Bandeiras da Assembleia e contou com a presença de 5 mil alunos das redes estadual e municipal de ensino. Durante o ato os jovens receberam uma cartilha informativa a respeito do crack e assistiram ao show do cantor Wilson Sideral.

Presente no evento o subsecretário de Política Sobre Drogas da Secretaria de Estado de Defesa Social, Cloves Benevides elogiou a Assembleia por assumir a causa, “as primeiras manifestações são simbólicas, mas elas vão se converter em um processo legislativo sólido”.

A Comissão Especial para o Enfrentamento do Crack segue cinco eixos: prevenção, acolhimento e tratamento do dependente químico, reinserção na sociedade evitando a recaída, repressão e a questão da legislação específica.