3 de outubro de 2013

ALMG debate situação dos idosos que em 2060 vão representar 26,7% da população

Atualmente vivem no Brasil 14,9 milhões de idosos que representam 7,4% da população. A perspectiva é de que após 50 anos este número chegue a 58 milhões de pessoas, ou seja 26,7% dos brasileiros. Os números foram apresentados na abertura do Ciclo de Debates 10 Anos do Estatuto do Idoso – avanços e desafios para um envelhecimento, realizado na Assembleia Legislativa de Minas Gerais (ALMG) nesta terça-feira (1º/10/13).

O deputado Bonifácio Mourão (PSDB) presidiu a abertura do evento e destacou que a questão da velhice vem sendo tratada pela ALMG como agenda prioritária. Ele ressaltou que os brasileiros estão ficando velhos e vivendo mais. Por isso, para que esses anos sejam usufruídos com dignidade, é preciso que existam “políticas que assegurem a essas gerações – presentes e futuras – inclusão social, renda, saúde, lazer e cultura”.

Também participou da solenidade o secretário de Estado de Desenvolvimento Social, Cássio Soares. Ele citou o Projeto de Lei (PL) 4.189/13, em tramitação na ALMG, que cria o Fundo Estadual dos Direitos do Idoso. Segundo o secretário, essa será mais uma forma de financiamento para as políticas públicas voltadas para o segmento.

Entre as políticas do Estado voltadas para melhorar a vida dos idosos está a campanha Rompendo o Silêncio, que tem objetivo de combater a violação de direitos contra idosos, além do Disque Direitos Humanos e o fortalecimento dos conselhos municipais do idoso.

O Ciclo de debates

O ciclo de debates celebra o 10º aniversário do Estatuto do Idoso (Lei Federal 10.741, de 2003) e tem como objetivo contextualizar a situação do envelhecimento no Brasil, em particular, em Minas Gerais, e debater aspectos referentes às políticas públicas para os idosos no Estado.

O evento é uma das iniciativas do Movimento Idade com Qualidade, criado pela ALMG em junho deste ano. O movimento pode ser definido como um vasto conjunto de eventos e ações com a finalidade primordial de discutir e acompanhar a implementação das políticas públicas e de programas para os idosos no Estado, entre elas o ciclo de debates e o Observatório Mineiro da Pessoa Idosa.

Fonte: ALMG