27 de agosto de 2012

Ações de médio e longo prazo do Governo do Estado garantem maior tempo de vida escolar do aluno mineiros

Os índices de avaliação do ensino em Minas se mantêm positivos. Além de conquistar o primeiro lugar no Ideb com a melhor educação básica do país, o Estado também vem desenvolvendo ações para elevar o tempo de vida escolar dos alunos mineiros. O indicador da Fundação João Pinheiro (FJP) mostra que a média de anos de estudos em Minas, de 2009 a 2011, se manteve estável com 6,9 anos entre a população com pelo menos 10 anos de idade. Das 11 regiões pesquisadas, a Região Metropolitana de Belo Horizonte é a que obteve melhor desempenho, com 7,7 anos de estudos.

Para o líder do Bloco Transparência e Resultado da Assembleia Legislativa de Minas Gerais, Lafayette Andrada (PSDB), os indicadores favoráveis à capital mineira são resultado de um trabalho dedicado e eficiente do Governo de Minas para melhorar a qualidade da educação no Estado. “Minas Gerais foi o primeiro estado do Brasil a colocar as crianças com seis anos na escola. Houve ainda um grande incentivo do Estado para que as crianças estejam, aos oito anos, lendo e escrevendo bem”, lembrou o deputado.

Deputado Lafayette Andrada

 

É na Grande BH também que se concentra a maior parcela de moradores com 25 anos de idade ou mais com o nível superior completo: 11 em cada 100 pessoas. A média geral do Estado é de 8,2%. Mesmo com os bons índices registrados em Minas, Lafayette Andrada reforçou a necessidade de avançar ainda mais nas políticas públicas voltadas para a educação. “É preciso identificar as fragilidades existentes, motivar os alunos e permitir sua permanência no sistema estadual de ensino”, disse.

Pesquisa

Os dados fazem parte da nova edição da Pesquisa por Amostra de Domicílios (PAD) da FJP e ajudam na elaboração da taxa de rendimento dos alunos mineiros. No Estado, as políticas educacionais estão sendo desenvolvidas para gerar resultados de médio longo prazos, objetivando manter a população mais jovem na escola e estimular a população adulta a retomar os estudos.

Para o deputado Lafayette Andrada, projetos criados pelo governo estadual para melhorar o rendimento escolar dos estudantes e reduzir a evasão escolar, como o Professores da Família e o Poupança Jovem, também contribuíram significativamente para o aprimoramento e qualificação do ensino público em Minas Gerais.

 

Leia mais:

Tempo dedicado ao estudo é maior em BH