6 de março de 2013

Áreas prioritárias como infraestrutura, saúde e educação terão grande investimento do Governo de Minas nos próximos anos

Versão: a oposição quer dar a entender que a ALMG aprovou novo empréstimo

Fato: não é novo empréstimo ao Governo do Estado, o empréstimo já foi aprovado no ano passado. O projeto em questão é apenas uma adequação para operações de crédito, ele inclui o Banco do Brasil como agente financeiro

O Plenário da Assembléia Legislativa de Minas Gerais (ALMG), aprovou, em 2° turno, na Reunião Extraordinária desta quarta-feira (06/3/13), o Projeto de Lei (PL) 3.745/13. O projeto , de autoria do governador Antonio Anastasia, autoriza o Poder Executivo a contratar empréstimos como o Banco do Brasil.

A proposição já havia sido aprovada no ano passado e autorizava a contratação de crédito com o Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES). O deputado Lafayette Andrada (PSDB), líder do Bloco Transparência e Resultado da ALMG explica que o projeto “não é um novo empréstimo, e sim uma mudança na cláusula”. De acordo com ele, o projeto autoriza o Estado a realizar operações de crédito com o Banco do Brasil, portanto o Estado poderá realizar operações com o BNDES e também com o Banco do Brasil.

Já o líder do governo na ALMG, deputado Bonifácio Mourão (PSDB), lembra que nos próximos anos o Governo de Minas deverá aplicar R$ 28 bilhões nas áreas de infraestrutura, educação, saúde, segurança pública e desenvolvimento social.

O anúncio foi feito pelo governador Antonio Anastasia em fevereiro de 2013 e vai melhorar ainda mais as condições de vida dos mineiros e atrair novos empreendimentos para o Estado, gerando emprego e renda.

Mourão, explicou que destes R$ 28 bilhões, cerca de R$ 19 milhões são do Tesouro do Estado, “são da economia do governo Anastasia, o restante são financiamentos. O governo está tomando emprestado apenas R$ 9 bilhões, isto está acontecendo porque as finanças do Estado estão saneadas”, explicou Mourão que completou, “empresas internacionais de análises da economia dos estados tem dado a melhor nota possível para o Governo de Minas quando se fala em sanear as finanças. Um Estado só consegue este financiamento quando está com as contas equilibradas”.