31 de julho de 2012

“A produção industrial cai quase 5% e o Governo Federal toma medidas paliativas, de curto prazo”

Áudio: deputado Rômulo Viegas

Audio clip: Adobe Flash Player (version 9 or above) is required to play this audio clip. Download the latest version here. You also need to have JavaScript enabled in your browser.

O processo de desindustrialização vivido no Brasil tem deixado grandes gargalos na economia nacional. Essa desaceleração reflete bem as distorções da política adotada pelo Governo Federal do PT, que mantem elevados os impostos para o setor produtivo ao mesmo tempo reduz as taxas para a importação. Para piorar a situação, o Governo Federal ainda insiste em recorrer a medidas paliativas para fazer bonito com a população, mas não resolve o problema da indústria brasileira.

Engajado na luta contra o processo de desindustrialização nacional, o deputado Rômulo Viegas (PSDB), manteve aceso o debate sobre o tema durante o primeiro semestre deste ano. Durante as reuniões e audiências realizadas na Assembleia Legislativa de Minas Gerais, o deputado fez questão de enfatizar a necessidade de o Governo Federal implementar no país uma política industrial consistente e permanente. “A produção industrial cai quase 5% e o Governo Federal toma medidas paliativas, de curto prazo, e não planeja. Isso é lamentável”, criticou.

Além das intervenções em plenário, Rômulo Viegas foi autor de requerimentos que traziam para o legislativo mineiro a discussão sobre a desindustrialização por meio de ações da Comissão de Turismo, Indústria, Comércio e Cooperativismo da ALMG. “A indústria brasileira precisa de mais reforço, precisa de um plano estratégico para sobreviver e evitar a invasão dos produtos internacionais que fazem com que nossa indústria fique deficitária. Soma-se a isso o não investimento em tecnologia e pesquisa por parte do Governo Federal e a nossa indústria fica a deriva de planos de curto prazo”, afirmou.